sexta-feira, 30 de junho de 2017

O utopista













Ele acredita que o chão é duro
Que todos os homens estão presos
Que há limites para a poesia
Que não há sorrisos nas crianças
Nem amor nas mulheres
que só de pão vive o homem
que não há um outro no mundo.


Murilo Mendes
. "Os quatro elementos". Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994.

domingo, 25 de junho de 2017

O poeta diante de Deus


Jesus, o século está podre.
Onde é que vou buscar poesia?
Devo despir-me de todos os mantos,
os belos mantos que o mundo me deu. 
Devo despir o manto da poesia.
Devo despir o manto mais puro.
Senhor Jesus, o século está doente,
o século está rico, o século está gordo.
Devo despir-me do que é belo,
devo despir-me da poesia,

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

MINHA ORAÇÃO


Deus, fazei de mim o poeta da simplicidade,
Força, e clareza. Ajudai-me a viver
Sempre mais por sempre mais altos padrões. Ensinai-me a
Tirar da frente a grande pedra, simples, feita porta
Firme, que se fez à hora morta,
E encher as brechas todas com os mais finos cascalhos, com a argila
Da aliteração, metáfora, rima. Dai
Força para ver e fazer ver erro em tristeza, em felicidade.
Fazei de mim um poeta verdadeiro, sempre justo ao sussurrar de meu
Chamado,
Tateando pela noite mais escura
Atrás da clara luz, sua brancura
Erguido firmemente e resoluto no Pilar do
Absoluto,
Trabalhando com paixão, com alma e com certeza,
Escrevendo meu mais alto Ideal no que quer que eu escreva,
Pra sempre honesta, suave, honrada, e alegremente,
Nunca temente.



E.E. Cummings

sábado, 26 de setembro de 2015

Embriagado de Deus

Te direi em segredo
Aonde leva esta dança.

Vê como as partículas do ar
E os grãos de areia do deserto
Giram desnorteados.

Cada átomo
Feliz ou miserável,
Gira apaixonado
Em torno do sol.

Ninguém fala para si mesmo em voz alta.
Já que todos somos um,
falemos desse outro modo.

Os pés e as mãos conhecem o desejo da alma
Fechemos pois a boca e conversemos através da alma
Só a alma conhece o destino de tudo, passo a passo.

Vem, se te interessas, posso mostrar-te.

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Amor Encarnado

Quisera eu transpor
Minhas finas fronteiras
E dividir meu Divino
Sabores, cores e odores
Som, vibrações e música
Olhos, risos e peles
Contato, dança e movimento
Vida flui no agora 
Transbordar amor
Inundando em êxtase
Compartilhar o íntimo
Descobrir meu tom
Sagrado encontro
Criatividade

(Olívia Braschi)



terça-feira, 13 de maio de 2014

(Des)Integrado


Que a primeira luz do sol
Queime e incendeie meu corpo.
Que o mais poderoso relâmpago
Me atravesse e me corte ao meio.
Que a chuva mais torrencial
Me lave e me rasgue por completo.
Que o mais perigoso maremoto
Me afogue nas profundezas do oceano.
Que o mais terrível furacão
Me arremesse o mais longe possível.
Que um gigantesco meteoro
Caia direto sobre minha cabeça.
Que um misterioso buraco negro
Me sugue para o espaço e para o além.
Que o implacável magma da Terra
Derreta o que sobrar de mim.

E que o Espírito Eterno Creador Absoluto
Me reduza ao pó inicial,
À semente primeva e primitiva
E faça de mim o nada que sou;
E que sua Luz Inefável
Exploda como uma supernova
Dentro de minha alma
E me liberte desta prisão
A que chamamos de vida (ou ilusão).

(Vinícius de Lacerda)

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Forasteiro



Para os pensadores, sou anarquista
para os anarquistas, sou muito certinho
Para os gnósticos, sou um budista
para os budistas, sou um gnóstico
Para os crentes, sou um cético
para os céticos, sou maluco
Para os meus filhos, sou criança
para os meus pais, sempre vou ser
Para os que me acompanham, sou de improviso
para os imprevistos, sou preparado
No fundo, não sou deste lugar.
E sempre fico pensando:
Que falta faz andar pelos caminhos asfaltados por outros
para poder falar-lhes em seu próprio idioma...



autor: Roger Alves